Postagens

IPHAN? Que IPHAN o quê? Aqui é a casa da Baronesa!!!

Imagem
A Casa de Patrimônio do IPHAN em Ouro Preto funciona na Casa da Baronesa desde 2006, seguindo as diretrizes da Portaria Nº 137, de 28 de abril de 2016. Os espaços desse casarão voltam ao século XVIII, com a Baronesa, sua história e seus 8 Filhos numa caça ao tesouro. O Circuito Expositivo da Casa da Baronesa é uma das ações educativas do Programa “Sentidos Urbanos: patrimônio e cidadania”.
Os visitantes são convidados a uma experiência lúdica e educativa guiada por Binho, uma criança de 308 anos, a idade de Ouro Preto, e que conhece a cidade como ninguém. Ele conta com a ajuda dos Caracóis cantores, a fantasma Maria das Dores que adora contar lendas e o Arqueólogo Maluco, com suas investigações e escavações. Tudo isso com teatro, jogos, música e no final, o grande tesouro de Ouro Preto. 
O objetivo é abordar as diversas faces do patrimônio cultural a partir de uma narrativa lúdica, ressaltando a importância da memória e identidade, através do teatro e da arte/educação. Há também a …

Personagens do Circuito Expositivo Casa da Baronesa

Imagem
Vocês já viram que a Maria das Dores saiu da casa da Baronesa e deu uma voltinha pela praça Tiradentes. Mas ela não é a única personagem que nós temos...
Confira agora a construção de mais um anfitrião da Casa da Baronesa.
E aí já tem uma ideia do que eles estão aprontando?


Roteiro Sensorial com novos servidores do IPHAN

Imagem
Os novos servidores do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), lotados no Escritório Técnico de Ouro Preto, participaram hoje, dia 11 de outubro, de um dos nossos roteiros sensoriais.
A proposta da ação é mostrar a cidade a partir de um olhar mais sensível, voltado para as lendas, ‘causos’, histórias, sons, imagens e cheiros que a cidade oferece. A metodologia dos roteiros foi desenvolvida pelo professor Juca Villaschi, do Departamento de Turismo da UFOP e são executados por bolsistas dos cursos de arquitetura, música, artes cênicas, museologia, turismo e comunicação social, que tornam o percurso lúdico e surpreendente para os participantes.



Meta Cumprida!

Imagem
Making of da oficia 
Ontem, no bairro Padre Faria, foi concluída a ação “Entre Lados, Há Cidade” na Escola Estadual Desembargador Horácio Andrade. Durante 5 encontros, foram trabalhados com os alunos do 5º ano conceitos relacionados a identidade, patrimônio e memória. 
“Entre Lados Há Cidade” é uma oficina de educação patrimonial que utiliza as ferramentas audiovisuais como vetor de reconhecimento das referências culturais, com a finalidade de registrá-las, estabelecendo uma narrativa. Assim, são desenvolvidas as noções de patrimônio cultural, produção audiovisual, memória e pertencimento
A partir das técnicas e conceitos relacionados a fotografia e o universo audiovisual, foram produzidas coleções fotográficas e curtas que retratam a visão dos alunos sobre patrimônio no bairro Padre Faria, trabalhando a memória e o afeto acerca do nosso patrimônio cultural. A oficina é uma parceria entre equipe "Sentidos Urbanos: Patrimônio e …

Narrativas do Afeto

Imagem
A igreja Matriz de Santo Antônio, localizada no distrito de Glaura, é um patrimônio histórico tombado pelo IPHAN, e está sendo restaurada desde o ano de 2018. 

O objetivo é trazer para um produto audiovisual a relevância para a comunidade que carrega a Matriz, a igreja é um lugar de memória que tem seu valor não somente no âmbito de patrimônio da humanidade, mas também para a comunidade que vive ali, onde foram criadas tradições que persistem e caracterizam aquele distrito. 



Desde o dia 13 de Junho, a Equipe de Comunicação do Sentidos Urbanos junto com os moradores do Distrito, iniciaram as filmagens e registros de cobertura, além das entrevistas com algumas personalidades da comunidade. 



Tecendo Memórias!

Imagem
A ação está em curso com duas turmas (7º e 8º anos) da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Municipal Monsenhor João Castilho Barbosa,e tem por objetivo propiciar um diálogo interdisciplinar que conecta as Artes e a Educação Patrimonial com finalidade de estabelecer uma interação entre educandos e patrimônio, por meio de atividades que agucem a memória e desejos em relação a cidade. As ações desenvolvidas pelos mediadores Luiz, Raquel e Gislayne vêm abordando a importância e usos da memória, bem como a participação do sujeito na vida social.











Entre Lados Há Cidade!

Imagem
Entre Lados Há Cidade é uma oficina que está sendo desenvolvida em uma parceria com o Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG). A ação está sendo desenvolvida na Escola Estadual Desembargador Horácio Andrade trabalhando a técnica audiovisual no âmbito da Educação Patrimonial.

Com a utilização da linguagem cinematográfica, os discentes Pedro Freire, Matheus Bernardes e Felipe Leoni desenvolvem as noções de patrimônio cultural, produção audiovisual, memória e pertencimento, resgatando as memórias e experiências dos estudantes a partir de narrativas fotográficas e áudio visuais, inserindo essas vozes dentro de um contexto identidade patrimonial.