Postagens

Personagens do Circuito Expositivo Casa da Baronesa

Vocês já viram que a Maria das Dores saiu da casa da Baronesa e deu uma voltinha pela praça Tiradentes. Mas ela não é a única personagem que nós temos... Confira agora a construção de mais um anfitrião da Casa da Baronesa. E aí já tem uma ideia do que eles estão aprontando?

Roteiro Sensorial com novos servidores do IPHAN

Imagem
Os novos servidores do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), lotados no Escritório Técnico de Ouro Preto, participaram hoje, dia 11 de outubro, de um dos nossos roteiros sensoriais. A proposta da ação é mostrar a cidade a partir de um olhar mais sensível, voltado para as lendas, ‘causos’, histórias, sons, imagens e cheiros que a cidade oferece. A metodologia dos roteiros foi desenvolvida pelo professor Juca Villaschi, do Departamento de Turismo da UFOP e são executados por bolsistas dos cursos de arquitetura, música, artes cênicas, museologia, turismo e comunicação social, que tornam o percurso lúdico e surpreendente para os participantes.



Meta Cumprida!

Imagem
Ontem, no bairro Padre Faria, foi concluída a ação “Entre Lados, Há Cidade” na Escola Estadual Desembargador Horácio Andrade. Ao longo das últimas semanas os alunos do 5º ano trabalharam a identidade patrimonial com a mediação das técnicas de fotografia e audiovisual, produzindo coleções fotográficas e curtas que retratam a visão dos alunos sobre  patrimônio no bairro Padre Faria.A oficina que visa trabalhar a memória e o afeto acerca do nosso patrimônio cultural, é uma parceria da equipe do Sentidos Urbanos com o Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG). 






Durante a oficina, a equipe do Sentidos produziu um making of dos produtos audiovisuais dos alunos!! Agradecemos à direção, professores e alunos da Escola Estadual Desembargador Horácio Andrade.

Narrativas do Afeto

Imagem
A igreja Matriz de Santo Antônio, localizada no distrito de Glaura, é um patrimônio histórico tombado pelo IPHAN, e está sendo restaurada desde o ano de 2018. 

O objetivo é trazer para um produto audiovisual a relevância para a comunidade que carrega a Matriz, a igreja é um lugar de memória que tem seu valor não somente no âmbito de patrimônio da humanidade, mas também para a comunidade que vive ali, onde foram criadas tradições que persistem e caracterizam aquele distrito. 



Desde o dia 13 de Junho, a Equipe de Comunicação do Sentidos Urbanos junto com os moradores do Distrito, iniciaram as filmagens e registros de cobertura, além das entrevistas com algumas personalidades da comunidade. 



Tecendo Memórias!

Imagem
A ação está em curso com duas turmas (7º e 8º anos) da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Municipal Monsenhor João Castilho Barbosa,e tem por objetivo propiciar um diálogo interdisciplinar que conecta as Artes e a Educação Patrimonial com finalidade de estabelecer uma interação entre educandos e patrimônio, por meio de atividades que agucem a memória e desejos em relação a cidade. As ações desenvolvidas pelos mediadores Luiz, Raquel e Gislayne vêm abordando a importância e usos da memória, bem como a participação do sujeito na vida social.











Entre Lados Há Cidade!

Imagem
Entre Lados Há Cidade é uma oficina que está sendo desenvolvida em uma parceria com o Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG). A ação está sendo desenvolvida na Escola Estadual Desembargador Horácio Andrade trabalhando a técnica audiovisual no âmbito da Educação Patrimonial.

Com a utilização da linguagem cinematográfica, os discentes Pedro Freire, Matheus Bernardes e Felipe Leoni desenvolvem as noções de patrimônio cultural, produção audiovisual, memória e pertencimento, resgatando as memórias e experiências dos estudantes a partir de narrativas fotográficas e áudio visuais, inserindo essas vozes dentro de um contexto identidade patrimonial.





Caracóis: Nossas Moradas

Imagem
Desde o dia 16 de setembro o projeto está em prática na Escola Estadual Marília de Dirceu, trabalhando conceitos como a Educação Patrimonial, a memória e o patrimônio cultural com os alunos do Ensino Fundamental I.
Os monitores Raquel, Luiz e Deborah trabalham a Educação Patrimonial em cinco camadas - o Eu, a Casa, a Escola, o Bairro e a Cidade - a fim de oportunizar aos discentes diferentes olhares sobre seus diferentes patrimônios, traçando em conjunto um percurso rumo ao autoconhecimento e à memória.