quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Oficina "Poéticas e Moradas" inicia atividades na E. M. Adhalmir Maia

A equipe do programa Sentidos Urbanos: Patrimônio e cidadania retornou a Escola Municipal Professor Adhalmir dos Santos Maia, com a oficina Poéticas e Moradas. O encontro com os estudantes das turmas do 4° ano da escola, aconteceu na manhã do dia 26 de setembro, terça-feira. Neste dia, os alunos conheceram os integrantes da equipe do programa Sentidos Urbanos, e praticaram alguns jogos teatrais. Todos as práticas tinham como foco a relação entre o eu e os ambientes da casa. Confira as imagens da oficina em nossa galeria:



Os estudantes se reúnem para construir a cena


Semana com professores do programa "De olho no patrimônio" de Diamantina

O programa Sentidos Urbanos: Patrimônio e cidadania realizou diversas oficinas com os professores do programa De olho no patrimônio, da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Patrimônio de Diamantina. A vivência iniciou-se na manhã do dia 18 de agosto, segunda-feira, e findou-se no dia 22 de agosto, sexta-feira. Foram realizadas algumas das ações executadas pelo programa Sentidos Urbanos, fazendo com que os professores fizessem uma imersão em nossas práticas.


No primeiro dia, 18, no período matutino, os professores foram apresentados ao programa e aos mediadores. No período da tarde, os docentes participaram do Circuito Expositivo - Casa da Baronesa, onde puderam conhecer a casa de uma forma lúdica, através da mediação teatral feita pela personagem Casa e suas assistentes. Em seguida, aconteceu um alinhamento conceitual sobre a oficina Poéticas e Moradas. 

A Casa recebe os visitantes
Na manhã do segundo dia, 19, os professores puderam participar de um dos nossos roteiros sensoriais. O roteiro escolhido foi o Ponte de Marília-Praça Tiradentes. Em seguida, houve um alinhamento conceitual acerca dos Roteiros, e uma roda de conversa com a psicóloga Cláudia Itaborahy, da Prefeitura Municipal de Ouro Preto, uma de nossas parceiras. No período da tarde, houve uma síntese da oficina Poéticas e Moradas.

Professores realizam o Roteiro Sensorial
Roda de conversa com psicóloga Cláudia Itaborahy
No terceiro dia, 20, foi realizada uma roda de conversa com os alunos da E. M. Monsenhor João Castilho acerca da oficina Olhares (Im)possíveis. Em seguida, os professores realizaram o "Minuto Lumiére", que é uma das práticas propostas pela oficina; e puderam contar com ajuda dos alunos da escola. Em seguida, os professores tiveram um alinhamento conceitual sobre a oficina, além de assistirem seus"minutos". Os professores também puderam conhecer as outras dependências da Casa da Baronesa, onde fica a sede do Escritório Técnico do IPHAN. 

Visita ao segundo andar da Casa da Baronesa
Já no quarto dia da Vivência, 21, os professores participaram da Mesa Sensorial, onde puderam utilizar os sentidos,  na exploração de objetos diversos. No período da tarde, foi a vez da oficina Infância: Tecendo memórias, onde os professores puderam falar a relação com a cidade e as memórias oriundas da infância.

Professores na Mesa Sensorial
Oficina Infância: Tecendo Memórias
No último dia, 22, no período da manhã, houve uma roda de conversa acerca da Vivência. Os professores e os mediadores expuseram suas impressões, e o desejo da continuação das atividades, agora na cidade de Diamantina! 

Equipe do programa "De olho no patrimônio" com a camisa do programa Sentidos Urbanos.
Foto com toda a equipe em um momento de confraternização

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Sentidos Urbanos recebe equipe de programa de educação patrimonial de Diamantina


O Programa Sentidos Urbanos receberá entre os dias 18 e 22 de setembro um grupo de professores que compõem o programa De Olho no Patrimônio, de Diamantina, MG. Neste período, a cidade de Ouro Preto será palco de um intercâmbio de educação patrimonial, no qual a equipe do Sentidos Urbanos apresentará as ações que desenvolvem na cidade, incluindo alinhamento conceitual, planejamento das ações e práticas, visando a trocar de experiências em função de melhorar as atividades desenvolvidas pelos programas participantes.

O "De Olho no Patrimônio" é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Diamantina, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Patrimônio , através da Diretoria de Patrimônio Cultural. 

Esperamos que esta seja a primeira de muitas atividades de troca e imersão entre programas de educação patrimonial. O desenvolver das atividades você acompanha aqui pelo blog ou pela nossa página no facebook. Fique ligado!

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Olhares (im)possíveis pausa para recesso

Atividades retornam no próximo semestre para dar prosseguimento às atividades realizadas até aqui.


A Olhares (im)possíveis está finalizando mais um ciclo de atividades. A oficina que tem a linguagem audiovisual como um pretexto para o encontro, nesta semana terminou uma parte das atividade propostas para as escolas Monsenhor João Castilho Barbosa e Professor Adhalmir Santos Maia. É importante salientar que, apesar de ser a mesma oficina, elas acontecem de maneira singular em cada instituição, uma vez que é trabalhada a autonomia dos participantes. Cada encontro é único e refletido nos resultados finais. Além disso, a E.M. Adhalmir Maia está em uma segunda fase da ação, na qual os estudantes do quinto ano estão trabalhando os sonhos que têm para si, para a escola, para o bairro e para a cidade. Neste último encontro, finalizamos as colagens que representam os sonhos de cada um. A ideia é que, nos próximos encontros, estas colagens sejam digitalizadas e editadas com o objetivo de construir intervenções urbanas do tipo lambe-lambes. 

Na E.M. Monsenhor João Castilho Barbosa, por vez, as intervenções urbanas também são temas de trabalho. Depois do roteiro para o filme carta iniciado na semana passada, hoje foi o dia da "Volta no Quarteirão". Nesse atividade, passeamos pelo quarteirão da escola e fotografamos as intervenções urbanas que mais despertam a atenção. As imagens produzidas hoje farão parte do filme carta produzido ao final da oficina. 




Pausa para recesso

O Programa Sentidos Urbanos: Patrimônio e cidadania é uma parceria do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), através da Casa do Patrimônio; com a Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) por meio do Departamento de Turismo, Artes Cênicas e de Jornalismo; com Fundação de Arte de Ouro Preto (FAOP) e Prefeitura Municipal de Ouro Preto. Atualmente é um projeto especial da Pró-reitoria de Extensão da Ufop e, por essa razão, terá suas atividades paralisadas entre os dias 07/09 e 17/09 em detrimento do recesso acadêmico na Ufop. 
Todas as ações que estão em desenvolvimento - entre elas a Olhares (im)possíveis - foram programadas para ter continuidade no próximo semestre. No planejamento constam a finalização das ações nas duas escolas citadas acima. Na Barra, as oficinas retornarão no dia 20/09 e no Adhalmir Maia, elas retornarão no mês de Outubro, uma vez que em Setembro realizaremos outras ações na escola com turmas que ainda não trabalharam com o Projeto. Entre as ações destaca-se a Poéticas e Moradas, uma das principais ações desenvolvidas no Programa que já foi trabalhada em outras escolas da cidade. Durante o recesso, as postagens no blog serão menos frequentes, mas continue acompanhando pelo facebook e por aqui. Em breve estaremos de volta com mais novidades. 





segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Poéticas e Moradas: Circuito expositivo e encerramento da atividade na Escola Municipal Dom Velloso

A Oficina "Poéticas e Moradas", mais uma ação do Programa Sentidos urbanos: patrimônio e cidadania, encerrou suas atividades na Escola Municipal Dom Velloso, nos dias 31 de agosto, quinta-feira, e 01 de setembro, sexta-feira. 
Na manhã de quinta-feira, os alunos das turmas A e B, do horário integral, foram convidados para participarem do Circuito expositivo; fazendo uma visita à Casa da Baronesa, localizada na Praça Tiradentes. Neste dia, foi realizada uma mediação teatral, fazendo com que as crianças pudessem entrar em contato com o local de uma forma lúdica. Os estudantes realizaram alguns jogos teatrais e interagiram com os personagens que os conduziam pela Casa.
Ao final da atividade, foi entregue para cada criança um fanzine, com a pergunta "Para você o que é patrimônio?". Neste fanzine, os estudantes escreveram e fizeram desenhos que demonstraram a visão destes sobre o conceito. O fanzine foi o mote para o encerramento da oficina, que aconteceu na manhã de sexta-feira. 
A equipe do programa Sentidos Urbanos: patrimônio e cidadania encontrou com os estudantes na Escola, para dar continuidade a atividade inciada no dia anterior. Os estudantes revisitaram seus fanzines, e foram divididos em grupos. Através dos desenhos representados, foram construídas diversas cenas, encerrando, assim, a atividade de forma lúdica. Confira as imagens dos encontros:






sábado, 2 de setembro de 2017

Resumo da semana: Oficina olhares (im)possíveis

Olhares (im)possíeis na Escola Adhalmir Maia
A Olhares (im)possíveis é uma das ações desenvolvidas dentro do programa Sentidos Urbanos. Nesta oficina, o audiovisual serve como um pretexto para o encontro. Nestes encontros, as discussões a respeito de pertencimento e patrimônio ganham forma a partir dos diálogos com a turma, que são refletidos nos produtos finais das oficinas. 
A ação está em andamento na Escola Municipal Monsenhor João Castilho Barbosa e na Escola Municipal Professor Adhalmir dos Santos Maia. No entanto, as turmas estão vivenciando momentos diferentes no que se relaciona ao desenvolvimento da oficina. Na E.M. Monsenhor João Castilho, a turma do nono ano está desenvolvendo um roteiro para a produção de um filme carta. A ideia é abordar as intervenções gráficas urbanas na cidade de Ouro Preto. O tema surgiu a partir das provocações da atividade "Minuto Lumière", desenvolvida na semana passada. 
Já na Escola Adhalmir Maia, a turma se encontra em uma segunda fase da ação, uma vez que já estava trabalhando com o programa desde o início do ano. Nesta segunda etapa, a turminha está no processo de confecção de colagens que expressem os sonhos para a cidade, para o bairro, para a escola e para si. A galera já está tão antenada no ritmo da oficina e já demonstram muita autonomia no desenvolvimento das atividades propostas. Confira alguma fotos e continue acompanhando estas e outras ações aqui no blog. 


Na E.M. Monsenhor João Castilho, desenvolvimento do roteiro do filme carta 
Ocorreu um erro neste gadget